Casamento e família

A REALIDADE E A FONTE DO CASAMENTO

Se Deus não for a realidade do casamento, ele será apenas uma aparência, um união de muita amargura, ou a união de casais perfeitos: que não brigam, que não reclamam um do outro, mas que também não manifestam o prazer e a sensação gostosa de que fizeram a excelente escolha de ficarem juntos.

O amor entre um homem e uma mulher é como uma vela, tem começo e fim. Se não é Deus como a verdadeira fonte para abastecer o amor no casamento, em uma hora que ninguém estiver esperando, o tanque do amor vai-se esvaziar e o casamento terminará. Muitos casais, quando buscam os motivos por que estão se separando, alegam que o amor chegou ao fim. É verdade, o amor do homem tem fim, mas o amor de Deus nunca termina. Ele é perfeito, completo e dinâmico. O amor de Deus pode gerar verdadeiros milagres no casamento. Com o amor de Deus, os cônjuges podem passar uma noite inteira em lágrimas, achando que tudo está acabado, mas pela manha eles podem ter a grata surpresa de ver surgir o sentimento de continuar juntos mais uma vez.

Todo casal, portanto, para ter uma vida conjugal feliz, deve: separar-se de sua vida de solteiro, reconhecer o cônjuge e amar Jesus, Aquele que é a realidade e a fonte do casamento.

CASAR É SEPARAR-SE 

Todos nós que estamos casados hoje, um dia, estávamos na condição de solteiros e, como solteiros, vivíamos para nós mesmos. Não precisávamos diretamente de outras pessoas para decidir o que deveríamos fazer, mas um dia nos separamos da vida de solteiro para o casamento, então, nesse momento, nossa vida mudou ou precisava mudar.

Casar-se significa unir ou ligar um elo ao outro, significa criar relacionamentos e interdependência; significa também dizer que essas duas pessoas já não podem andar sozinhas ou fazer coisas sem considerar a outra parte.

Um dos grandes problemas da vida de casado está no fato de os cônjuges não aceitarem a idéia de que precisam divorciar-se da vida de solteiro. Casar é separar-se. Viver a vida de casado como solteiro é a fonte de muitos transtornos conjugais. A altura do som da música que você vai ouvir, se vai dormir com a janela aberta ou fechada, se vai abrir a casa para os amigos dormirem no final de semana, que refeição será servida, a que horas vai sair e chegar, tudo isso não é mais uma questão de apenas uma pessoa decidir, mas das duas decidirem.

Muitos preferem divorciar-se do cônjuge a romper com sua vida independente. O casamento precisa nos separar da vida de solteiro, de um viver individual e da tomada de decisão isolada.

Além de reconhecermos nosso cônjuge no casamento, devemos ainda reconhecer o Senhor Jesus em todas as situações. Esse é um problema ainda maior na vida dos casais. Não é possível termos uma vida conjugal forte sem reconhecê-Lo.

Deixe seu compartilhar.

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário